Quem é a sua inspiração?

Diz pra mim! Quem é a sua inspiração?

O guru da internet, o jogador de futebol? Ou a última celebridade da TV? De quem você cita frases feitas, de quem segue ordens prontas? A quem dedica aquele grau extra de esforço para alcançar seus objetivos?

Se, depois dessa tempestade contínua de informação, ainda te sobra capacidade de pensar, pare um pouco. Se após ler e ouvir receitas prontas de bolos cenográficos que não existem no mundo real, ainda tiver senso crítico, pense.

O mundo real ainda é o mesmo. Com pessoas normais, com defeitos, qualidades e sonhos… muitos sonhos.

Essas pessoas não têm medidas perfeitas, não andam em carrões e nem sabem a palavra certa para cada situação. Nossa ilusão parte da premissa de que o mundo que a tecnologia inventou é a rota de chegada.

E aí, o que vemos?

Pessoas de carne e osso, muitas qualificadíssimas, seguindo a última cartilha do guru e se transformando em robôs. Repetem frases sem nexo, que nem traduzem a própria essência. Enganam e são enganados.

Nesse caleidoscópio de vaidades, quem ganha é o guru. Rios de dinheiro, vindo da fonte inesgotável dos boletos pré-pagos.

Pessoas que pensam logo veem que não precisam ir muito longe para buscar inspiração. E que a felicidade não pode ser medida em métricas de like na internet.

Porque quem realmente inspira é quem enfrenta a vida com alegria. Que ri das dificuldades e se mantém de pé durante as tempestades. Quem trata o outro com gentileza porque tem vontade de fazer isso e não porque poderá ser útil no futuro.

Quem me inspira é a minha avó que contava histórias e a outra que criou 11 filhos sozinha. É a minha irmã, que estudou para o vestibular em uma cama de hospital.

E a outra que enfrentou a própria insegurança para passar num processo seletivo e ajudar as pessoas.

Aquele que eu conheço e que me conhece.

Quem me impacta, quem me inspira é o ser humano de verdade.

A voz gravada do bot da internet, replicada milhares de vezes na linha de transmissão, pode até me dar a impressão de que sou importante. Mas quem me impacta, na vida real, é a voz do amigo na outra ponta da linha. Com um uma centena de erros de português e zero de estratégia de comunicação.

Mas é com quem eu posso contar, na hora do aperto.

1096 visualizações